Mesmo sendo um local seguro, shoppings têm sido alvo de ações criminosas.

De uns tempos para cá o número de roubos em lojas dentro de shopping centers cresceu de forma significativa no País. Rio de Janeiro, São Paulo e Espirito Santo foram os estados que registraram os mais recentes incidentes relativos à insegurança nos meses de março e neste começo de abril.

Joalherias, eletroeletrônicos e operações que trabalham com produtos de alto valor agregado são as mais procuradas pelos criminosos dentro de shopping centers e segundo o diretor de Operações Nacional do GRUPO GR e especialista em gestão de segurança em <strong>shopping centers</strong>, Alexandre Judkiewicz, existe um esforço dos empreendimentos de impedir que novos casos aconteçam.

O especialista explicou que hoje os shoppings contam com um sistema de monitoramento com tecnologia de ponta para impedir que a criminalidade aumente no setor. Em centrais de monitoramento, os profissionais especializados em monitoramento e segurança conseguem mapear dados da criminalidade na região em que a operação se encontra, entender como agem os criminosos locais, além de conseguir identificar mudanças no comportamento do consumidor e funcionários.
“Os shoppings estão investindo em especialistas em segurança para tratar diretamente com os gestores. Dessa forma é possível criar uma gestão de segurança muito mais eficaz e precisa. Mas não podemos esquecer que, um projeto de segurança para esses empreendimentos, envolve muito mais, e a presença humana é imprescindível. Os planos de segurança são revistos periodicamente, para tratar de novas modalidades de crimes e para que estejamos sempre preparados para enfrentar possíveis situações de risco”, enfatizou o especialista.

Mesmo com o número maior de casos dentro desses centros comerciais não existem motivos para que o consumidor deixe de ir aos shoppings. O mesmo deve ser levado em consideração pelos empresários que atuam dentro desses centros. Para ajudar, Alexandre Judkiewicz, listou algumas medidas que podem aumentar a segurança dentro das lojas; veja:

Discrição

Não mencione a ninguém sobre armazenamento de dinheiro dentro do ponto de venda;
Importante que o lojista, sempre que possível, retire o dinheiro das vendas e o deposite em um local seguro, como o banco, por exemplo;
Tenha sempre a presença de uma pessoa de confiança no local, evitando ficar sozinho;
Mantenha uma boa visibilidade dentro do estabelecimento;

Equipamentos de segurança

Espelhos e equipamentos de segurança ajudam a inibir a ação de criminosos;
Tenha mais de um cofre, colocando um deles em local bem discreto;
Mantenha a entrada da loja e os fundos do comércio bem iluminados a noite, e instale câmeras de segurança. Isso intimidará os criminosos;
Escolha locais estratégicos para a instalação dos caixas;
Não permite que pessoas entrem na loja usando capacetes e deixe isso bem visível como um aviso aos clientes;

Atenção

Mantenha-se alerta. A desatenção é identificada com facilidade pelo criminoso que pode agir nesse momento;
Observe com atenção e cuidado as pessoas que permanecem um grande período no estabelecimento sem objetivos de comprar ou consumir alguma coisa;
&nbsp;Em caso de assaltos nunca reagir, pois certamente o agressor estará acompanhado e a situação pode se complicar com rapidez;
É sempre importante manter a calma, isso ajudará na memorização das características dos meliantes (aparência, vestuário, e demais informações), que é fundamental para a polícia capturá-los.
As dicas do especialista em segurança servem tanto para estabelecimentos dentro de shopping centers quanto aos lojistas de rua, esses mais suscetíveis a ações criminosas.